O estado vergonhoso a que chegou a justiça em Portugal

Um “compromisso de confidencialidade” por escrito e assinado por procuradores do Ministério Público, polícias e juiz de instrução criminal que estejam envolvidos em conjunto numa investigação vai ser uma das prioridades do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) para o ano judicial 2015-2016.

Isto é necessario? Nao é isto uma obrigação destas entidades?

Fonte: Justiça – Grandes processos judiciais protegidos por pacto de silêncio – Portugal – DN

Anúncios

Portugal precisa de um Presidente independente!

“Vá em frente, vá em frente, que o País precisa de um Presidente independente!” – palavras de incentivo que Sampaio da Nóvoa ouviu esta manhã na visita ao Mercado Municipal Engenheiro Silva, Figueira da Foz.

Mercado Municipal Engenheiro Silva, Figueira da Foz.

 

Fonte: “Vá em frente, vá em frente, que o País precisa de um Presidente independente!” | Sampaio da Nóvoa

O melhor Serviço Nacional de Saúde do mundo é portugues

Jose Manuel Silva no Publico:

Não há nenhuma evidência científica de que, em saúde, a gestão privada seja melhor que a pública.

Surpreendem alguns artigos sobre saúde, como o que Rui de Albuquerque publicou neste jornal, com números completamente falsos – no caso, que Portugal gasta 10 por cento do PIB para financiar o Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Consultando o rico e elucidativo documento “Health at a Glance 2015. OECD Indicators”, verificamos que Portugal, somando a despesa pública e privada em saúde, gasta 9,1 por cento do PIB, para uma média de 8,9 por cento nos países da OCDE. Destes, apenas cerca de 6 por cento do PIB diz respeito a despesa pública em saúde com o SNS, contra 6,5 por cento na média da OCDE.

Nesse artigo é também feita uma comparação com a Suíça, elogiando o seu sistema privado mas omitindo que este é o segundo mais caro do mundo!

O mesmo autor diz que a despesa da saúde em Portugal é elevadíssima, criticando os 10 (!) por cento de despesa. Porém, contraditoriamente, já elogia o sistema suíço, apesar de este gastar 11,1 por cento do PIB em saúde, constituindo a despesa pública quase 8 por cento.

Na verdade, se compararmos a despesa total “per capita” pública e privada, a diferença é gritante: a Suíça gasta 6.325 dólares por pessoa, por ano; e Portugal somente 2.514 dólares (a média da OCDE é de 3.453). Há várias razões para esta diferença, nomeadamente os vencimentos; mas este dado, quando comparado com a média da OCDE, demonstra como Portugal tem um sistema de saúde muito barato e, sobretudo, barato para o Estado, o qual em Portugal apenas assume 67 por cento das despesas totais com a saúde – abaixo dos 73 por cento da média da OCDE.

Por outro lado, a Suíça gasta 22 por cento do Orçamento do Estado em saúde, enquanto Portugal gasta 12 por cento. Seria, aliás, impossível para Portugal sustentar um sistema tão despesista como o suíço!

Na verdade, em termos globais, os sistemas de saúde essencialmente baseados na prestação privada de serviços de saúde são mais caros e não têm melhores indicadores de saúde do que os sistemas públicos. Os Estados Unidos são o paradigma do sistema de saúde baseado em seguros e prestadores privados, sendo o mais caro do mundo e tendo vários maus indicadores devido às chocantes desigualdades de acesso aos cuidados de saúde.

Também na mortalidade infantil, um dos principais indicadores de saúde, Portugal está melhor, com uma mortalidade de 2,9/1000/ano, enquanto a Suíça tem 3,3/1000 (média da OCDE 3,8). Na Holanda, que se está a arrepender do seu caríssimo e pouco eficiente sistema de partos em casa, este valor é de 4,0/1000. Nos EUA é de 5,0/1000.

Em função destes números (e muitos outros) que são dados oficiais da OCDE, podemos concluir facilmente que, até à imposição dos excessivos cortes no SNS, cujo impacto negativo nestes indicadores poderá fazer-se sentir nos próximos anos, Portugal tinha/tem o melhor SNS do mundo, na relação acessibilidade/qualidade/custo per capita. Devendo ainda melhorar, naturalmente.

Sublinhe-se que, conforme está publicado, não há nenhuma evidência científica de que, em saúde, a gestão privada seja melhor que a pública. Basta recordar o descalabro da banca privada portuguesa para se perceber esta verdade! Bem pelo contrário, entre outras evidências, no Reino Unido já foi demonstrado que os sectores social e privado não conseguem prestar cuidados primários de saúde com o mesmo nível de qualidade da prestação pública. Para além disso, dos três grande oligopólios da saúde em Portugal, já só “metade” de um se mantém português…

Fonte: O melhor Serviço Nacional de Saúde do mundo

O testemunho emocionado de uma criança adoptada por dois homossexuais

Numa altura em que se debate em Portugal a possibilidade de uma criança ser adoptada por duas pessoas do mesmo sexo, vale a pena assistir a este video de uma criança que esta a ser criada por dois homens.

E esta é de facto a opinião que conta, a opinião de quem é criada por uma casal de homossexuais.

Este testemunho mostra também de uma forma brutal que o problema nao esta em quem adopta mas sim no preconceito e na maldade de quem critica este tipo de adopção. E sao também estas pessoas, que se mostram tao preocupadas com as crianças, que contribuem para que o seu desenvolvimento nao seja o melhor possível.

Pode ver o testemunho emocionado de Ana Karolina Lannes aqui