A direita teve responsabilidades em todas as intervenções do FMI

Ultimamente ha uma tentativa de colagem do PS aos resgates de Portugal, como se o PS fosse o responsável por todas as “falencias” desde 74 ate hoje.

O primeiro resgate aconteceu em 1977 Mario Soares era realmente o PM, e ainda bem senao ninguem nos teria emprestado nada, mas o PSD também esta nesse governo (Mota Pinto) e o ministro das finanças era, imaginem, Medina Carreira!

Portugal saia de uma ditadura de 40 anos culminando num periodo louco de instabilidade politica e economica (PREC). Isto ja para nao falar na crise petrolifera dos anos 70.

O segundo resgate acontece em 1983 com um governo PS/PSD que se seguiu a um governo de direita (PSD/CDS/PPM) que teve responsabilidades e grandes neste resgate.

O terceiro resgate aconteceu com um governo do PS no meio da maior crise internacional desde 1929, Nunca saberemos também se o PEC IV (elogiado por Merkel e Durao Barroso) nao o teria evitado, e isso é uma responsabilidade do PSD e CDS tal a pressa que tinham de ir para o poder.

Em todos os resgates temos “a mao” da direita que gosta de se fazer de moralista aparecendo como o exemplo do rigor.

Rico rigor…

Fonte: Aventar

PSD, CDS e a democracia que nao sabem o que é

Pedro Marques Lopes no DN:

O que vários deputados do PSD e do CDS fizeram na Assembleia da República não foi nem menos nem mais do que uma falta de respeito pela própria instituição a que pertencem. Assistir a um deputado a dizer que há um primeiro-ministro não eleito é algo que só pode ter duas explicações: ou não sabe ao que concorre quando aceita ser candidato a deputado ou, sabendo, quer enganar as pessoas que o ouvem.

Já o que não é tolerável é um ex-primeiro-ministro e um ex-vice-primeiro-ministro fazerem as lamentáveis cenas de nem sequer se dirigirem a António Costa como primeiro-ministro ou fazerem piadinhas com vírgulas. Estadistas não insultam os mandatos dos deputados. E pessoas com as responsabilidades passadas e presentes de Passos Coelho e Paulo Portas não podem desrespeitar o Parlamento.

Esta espécie de estratégia de rapazinho a quem tiraram a bola não pode durar muito, claro está. Um partido como o PSD terá de ter uma oposição que mostre um caminho alternativo, mas ficará esta mancha dum tempo em que se mostrou não se saber lidar bem com as regras da democracia representativa, em que o partido não honrou o seu passado e deixou uma memória que pode sair-lhe cara no futuro.

Cronica na integra aqui

Ainda os submarinos…

Paulo Portas teria todo o interesse em esclarecer tudo isto de vez. Por ele e, ja agora, também por nos!

Ex-secretário-geral do Ministério da Defesa contou aos investigadores do processo dos submarinos, já definitivamente arquivado, ter recebido instruções de Portas para que fosse feito um acordo com o consórcio que o BES integrava. Disse ainda ter tido um único encontro com Portas depois de sair do Ministério da Defesa: o ex-ministro estava interessado em saber que documentos tinham os investigadores levado da casa do ex-secretário-geral durante as buscas

Fonte: Visão | Submarinos. O depoimento que comprometeu Paulo Portas