O cartaz, o Alentejo e a estupidez

O que é que o cartaz do BE e as considerações sobre o Alentejo que Henrique Raposo faz têm em comum?

Falam ambos do que nao conhecem, sao estupidos e parvos.

Mas o que mais me espantou hoje foi ver gente irritada com os críticos do cartaz, porque segundo eles é uma questão de liberdade de expressão, como se a mesma liberdade de expressão que permite o cartaz já nao seja valida para quem critica.

Mas ver alguns destes defensores da liberdade de expressão assinar petições defendendo a proibição da publicação do livro do Henrique Raposo foi algo de absolutamente surreal.

Sera caso para dizer: “A estupidez parece que é contagiante”!.

Anúncios

O perigo da extrema direita em governos europeus

Bruxelas vai estrear um procedimento que pode levar à suspensão do direito de voto da Polónia, se o país insistir em violar os princípios do Estado de direito.

A Polónia será o primeiro país da União Europeia a sentir os efeitos do novo mecanismo para garantir o Estado de direito, agora que o novo Governo ultraconservador está a seguir o mesmo trilho de Victor Orbán, na Hungria. A aprovação de uma nova lei que dará ao ministro das Finanças a competência de nomear e demitir os directores dos meios de comunicação públicos fez decidir a Comissão Europeia, que discutirá o caso polaco a 13 de Janeiro.

Os directores de vários canais da televisão pública polaca TVP apresentaram a demissão este fim-de-semana, depois de o Parlamento ter aprovado, a 31 de Dezembro, uma lei que coloca os media públicos sob o controlo do Governo, que já tomou medidas também para controlar o Tribunal Constitucional. Até agora, os directores eram escolhidos por concurso do Conselho Nacional do Audiovisual.

O Partido Direito e Justiça (PIS), liderado por Jaroslaw Kaczynski (que não tem nenhum cargo oficial, mas é a verdadeira figura de poder), diz que este é apenas “um primeiro passo” das suas reformas. Anunciou que a televisão e a rádio públicas, bem como a agência de notícias PAP, actualmente sociedades de direito comercial controladas pelo Estado, serão transformadas em instituições culturais apadrinhadas por um Conselho dos Media Nacionais, a criar pelo novo Governo.

Fonte: Artigo na integra

A liberdade de expressao

A imprensa tem liberdade para publicar o que bem entender sobre qualquer cidadão. Tera sempre o argumento do interesse publico, pode por isso falar do que quiser e sobre o que quiser tudo a bem dos mais elementares direitos da liberdade de expressão.

Nao ha limites para essa liberdade, nem de decencia nem de bom senso. E se alguém se atrever a colocar isso é causa ja sabe ao que se sujeita: A ser insultado e apelidado de salazarista, foi que aconteceu com a Estrela Serrano neste post e com a Fernanda Cancio  que viu a sua vida privada devassada de uma forma ignobil.

No ciclo preparatorio tive um dossier que tinha uma frase na sua capa: “A liberdade de uns termina onde começa a de outros”

Viva a liberdade!