Esclarecimento sobre os vergonhosos boatos acerca da formação academica de Sampaio da Novoa

isto deverá ser o suficiente ou nao ja que estamos realmente no dominio da ma fe!

NOTA A PROPÓSITO DAS NOTÍCIAS E BOATOS SOBRE A MINHA FORMAÇÃO ACADÉMICA

Era suposto que a formação inicial de um professor catedrático, e que foi Reitor da maior universidade portuguesa, não fosse tema de conversa e baixa política numa campanha eleitoral. Era, mas não foi. Tenho estado calado por acreditar nos princípios republicanos da igualdade. Não me parece que faça qualquer sentido invocar os títulos académicos numa campanha, mas, perante a insistência, não me resta outra alternativa que não responder.

Dei aulas e investiguei em universidades portuguesas e internacionais, como Wisconsin-Madison, Paris V, Oxford, Columbia University (Nova Iorque) e Brasília. Todas validaram as minhas competências académicas. O meu currículo serviu para estas Universidades, mas não convence um jornal e outro candidato. Lamento.

1. O Correio da Manhã enviou-me ontem duas perguntas, a três horas da minha entrada num debate televisivo, para serem respondidas até hoje. Mas, antes de ter as respostas, publicou uma notícia falsa e caluniosa, carregada de má-fé, a quatro dias das eleições, dando eco a acusações difamatórias e sem qualquer sustentação, proferidas por outra candidatura.

2. A minha vida académica foi escrutinada publicamente em muitos momentos. Em Portugal e no estrangeiro. Tenho dois doutoramentos (em Ciências da Educação na Universidade de Genebra, em 1986, e em História na Sorbonne, em 2006), realizei provas de agregação (em História da Educação na Universidade de Lisboa) e fiz toda a minha carreira académica através de provas públicas, que implicam a análise e a discussão científicas do curriculum vitae.

3. Toda esta vida, que agora se pretende destruir, está documentada e todos os documentos apresentados para efeitos de carreira académica podem ser analisados e consultados. Em nenhum documento oficial, académico ou profissional, alguma vez se encontra uma referência errada ou falsa, como, por exemplo, a referência a uma qualquer “licenciatura em Teatro”, realidade que nem existia no momento em que terminei o meu Curso Superior de Teatro no Conservatório Nacional, em Lisboa.

4. Tenho um diploma universitário em Ciências da Educação, de 1982, pela Universidade de Genebra, que foi reconhecido como licenciatura em Ciências da Educação por um júri nomeado pela Universidade de Aveiro, em 1984. É esta a única licenciatura que possuo. Aliás, é público e notório, que toda a minha carreira se fez nesta área científica, na qual sou Professor Catedrático.

5. Quanto ao referido diploma universitário em Ciências da Educação (Diplôme d’études avancées), trata-se de um curso dirigido sobretudo a profissionais da Educação com formação e experiência na área pedagógica. A entrada para o curso depende de uma avaliação criteriosa do percurso académico e profissional anteriores. No meu caso foi considerada a frequência do curso de Matemática na Universidade de Coimbra e a conclusão do referido Curso Superior de Teatro do Conservatório Nacional, mas também a experiência profissional na formação de professores, realizada no Magistério Primário de Aveiro, a actividade pedagógica ao serviço do Ministério da Educação e a publicação de variadíssimos trabalhos académicos.

6. Através da análise deste percurso, assente quer no Curso Superior de Teatro que tinha, quer na minha atividade docente e de investigação, e também da realização de provas e entrevistas, a Universidade de Genebra entendeu que eu estava em condições de entrar no referido curso. Nada mais natural. Sem quaisquer equivalências. Sem validações absurdas.

7. O curso não tinha uma duração fixa. No meu caso, devido à dedicação total e exclusiva ao curso, consegui concluí-lo em dois anos. É esta, como referi, a minha única licenciatura, realizada sem qualquer equivalência, sendo que o mérito do meu trabalho nela realizado foi desde logo reconhecido de forma clara pela Universidade de Genebra ao convidar-me para assistente e, sobretudo, ao convidar-me para ali realizar o Doutoramento.

8. É muito estranho para mim, que uma carreira académica, nacional e internacionalmente reconhecida, esteja agora a ser questionada e vilipendiada, pondo em causa o meu carácter e honradez, mas também as universidades por onde passei e onde fui sempre avaliado publicamente com as melhores classificações, desde Genebra à Sorbonne, passando por Lisboa, e por tantas outras no estrangeiro onde leccionei ou investiguei como Wisconsin-Madison, Paris V, Oxford, Columbia University (Nova Iorque) e Brasília.

9. Tudo claro, transparente, público e escrutinado, fruto de trabalho académico, científico, de avaliação do mérito, nalgumas das melhores universidades do mundo.

10. Um ataque infundado desta natureza não deveria merecer senão indiferença, e deveria apenas servir para envergonhar quem o profere, mas não quero deixar qualquer margem para dúvida perante as pessoas, não quero deixar qualquer margem para especulações assentes em factos falsos ou manipulados. A calúnia é a arma dos desesperados.

11. Toda a prova documental, diplomas e certificados, está disponível para consulta pública nas plataformas oficiais da minha candidatura, sendo certo que estou e estarei sempre disponível para o escrutínio total sobre o meu percurso académico. Não posso é tolerar que se prolongue sobre esta matéria uma inqualificável e difamatória campanha, iludindo os portugueses e desrespeitando as regras mais elementares do debate democrático.

CV 2009: http://issuu.com/snap…/…/3_cv_completo_sampaio_da_n__voa__20

 

Documentação sobre o percurso académico: http://issuu.com/snap…/…/percurso_acad__mico_sampaio_da_n__v

 

Em anexo seguem:
– Curriculum vitae completo elaborado em 2009
– Documentos relativos ao percurso académico, a saber:
1) Certificado de conclusão do Liceu
2) Certificado do Curso Superior de Teatro (Formação de Atores)
3) Certificado do Curso Superior de Teatro (Formação de Encenadores)
4) Certificado do Diploma em Ciências da Educação (Diplôme d’études avancées, Universidade de Genebra)
5) Ata do júri da Universidade de Aveiro de reconhecimento da licenciatura em Ciências da Educação
6) Certificado do Doutoramento em Ciências da Educação (Universidade de Genebra)
7) Certificado do Doutoramento em História (Universidade de Paris IV – Sorbonne)
8) Nomeação em Diário da República como Professor Associado na Universidade de Lisboa
9) Registo da Agregação na Universidade de Lisboa
10) Nomeação em Diário da República como Professor Catedrático na Universidade de Lisboa
11) Doutoramento Honoris Causa pela Universidade do Algarve
12) Doutoramento Honoris Causa pela Universidade de Brasília
13) Prémio Universidade de Coimbra

Fonte: FB de Sampaio da Novoa

Anúncios

Novoa, Belem e as subvenções vitalícias

Foi curiosa e interessante a posição que Sampaio da Novoa e Maria de Belem tomaram em relação às subvenções vitalícias de ex-titulares de cargos políticos.

Sampaio da Novoa afirmou que caso seja eleito:

Que se baterá pelo fim da subvenção para o Presidente da República e que se o parlamento não legislar nesse sentido abdicará desse rendimento.

Ja Maria de Belem, que integra a lista dos 30 deputados que pediram ao Tribunal Constitucional a fiscalização das normas do Orçamento do Estado para 2015 sobre as subvenções vitalícias de ex-titulares de cargos políticos, sobre este assunto afirmou:

O Tribunal clarificou a natureza legal da subvenção vitalícia. Nunca a recebi. Irei avaliar as consequências da decisão do Tribunal Constitucional ao meu caso pessoal e, oportunamente, decidirei.

Esta tudo dito!

Nao é a licenciatura de Novoa que é uma aldrabice

Amanhã o “Correio da Manhã” volta à carga, continuando a alimentar uma aldrabice, quando sabe que a licenciatura de Sampaio da Nóvoa é na Universidade de Genebra, em Ciências da Educação. E sabendo que, na sua prova de agregação, todo o seu currículo foi minuciosamente avaliado e verificado. Ou seja, o “Correio da Manhã” (com o “rigor” que se lhe conhece) tem instrumentos que escaparam não só à Universidade de Genebra, mas também à Universidade de Lisboa, na mais exaustiva, rigorosa e documentada forma de verificação de um currículo académico que pode existir: as provas de agregação. Mas alimentar, a poucos dias das eleições, a dúvida, chega e sobra para fazer o que este jornal faz em todas as campanhas: lançar lama sobre qualquer candidato que não seja da sua área política. Marcelo Rebelo de Sousa, tendo apoiado Sampaio da Nóvoa para o cargo de reitor, sabendo por isso da sua qualidade académica, tinha o dever de já ter matado este tema e desmentido o que sabe, como professor que é, não ter pés nem cabeça.

Daniel Oliveira no FB

Sampaio da Novoa e o seu passado politico

Sampaio da Novoa nao tem um passado politico conhecido (99%do povo portugues também nao).

Graças a esse defeito de caráter Sampaio da Novoa nao tem as qualidades necessárias para ser Presidente da Republica (99% do povo portugues tem o mesmo problema)

Felizmente para Sampaio da Novoa serão estes 99% que irao eleger o Presidente da Republica no dia 24.

Sampaio da Novoa um homem de causas

Jorge Sampaio apoiante de Sampaio da Novoa desde a primeira hora:

Sampaio da Nóvoa é salutar para a democracia portuguesa, vem da sociedade civil e representa a renovação que é esperada na vida política portuguesa. Tem todas as características de Presidente da República: capacidade de diálogo, de fazer pontes, de unidade e mediação, de incentivar o compromisso e é sobretudo uma pessoa capaz de ter causas. O país precisa de uma pessoa de causas para voltar a ter esperança.

Sampaio da Nóvoa propõe Compromisso Estratégico para um Crescimento Partilhado

“Nenhuma economia cresce de forma justa e partilhada se deixar para trás a maioria das pessoas. Nenhuma democracia se consolida com uma classe média a encolher. Para ultrapassarmos os bloqueios económicos e sociais que enfrentamos, promoverei as iniciativas necessárias para a criação das condições políticas e sociais que viabilizem um Compromisso Estratégico para um Crescimento Partilhado. O objetivo é que esse compromisso passe pela Assembleia da República e pela Concertação Social, e garanta a estabilização de algumas políticas de qualificação e solidariedade para além do ciclo curto da legislatura.” – Sampaio da Nóvoa, na Conferência “Desigualdades, Pobreza e Democracia”

Fonte: Sampaio da Nóvoa propõe Compromisso Estratégico para um Crescimento Partilhado | Sampaio da Nóvoa

A certeza de Novoa e a duvida de Belem

Maria de Belem afirmou numa entrevista a Antena1 que caso seja derrotada na primeira volta votará em Sampaio da Novoa. Mas nao deixa de ser curiosa, e elucidativa, a hesitação demonstrada na resposta.

Sampaio da Novoa nao teve hesitações na resposta que deu ao Publico:

“Estou absolutamente convencido de que vou passar à segunda volta. Se tal não acontecer, votarei sempre, e em todas as circunstâncias, no candidato alternativo a Marcelo Rebelo de Sousa”.

E assim se vao desfazendo duvidas…

António Sampaio da Nóvoa: A palavra é uma arma 

No futebol, era um médio com visão completa do jogo. No teatro, gostava sobretudo de declamar. Na Universidade, foi um reitor que fez história. Diz que, por timidez, prefere grandes auditórios a pequenos grupos e que prefere cinco horas de trabalho a qualquer jantar social. Nasceu numa família com pergaminhos nobiliárquicos, viveu em Nova Iorque, Paris, Genebra, Brasília. Quer ser Presidente da República.

Fonte: António Sampaio da Nóvoa: A palavra é uma arma – Weekend – Jornal de Negócios

Portugal precisa de um Presidente independente!

“Vá em frente, vá em frente, que o País precisa de um Presidente independente!” – palavras de incentivo que Sampaio da Nóvoa ouviu esta manhã na visita ao Mercado Municipal Engenheiro Silva, Figueira da Foz.

Mercado Municipal Engenheiro Silva, Figueira da Foz.

 

Fonte: “Vá em frente, vá em frente, que o País precisa de um Presidente independente!” | Sampaio da Nóvoa